HORA DO CONTO NA ESCOLA
- criando leitores, desenvolvendo pessoas –

Por Daniel dos Santos*

Nos últimos anos têm se dedicado muitos esforços no sentido de incentivar o hábito da leitura, pois esse é um dos remédios mais poderosos contra o analfabetismo funcional. Uma das estratégias de ação do PROLER (Programa Nacional de Incentivo à Leitura) é a realização da “Hora do Conto”, pois é sabido que ouvir histórias contribui para o desenvolvimento de competências necessárias à leitura – como a criação de imagens mentais, por exemplo – estimulando também a busca por mais histórias nos livros.
Além de incentivar o hábito da leitura, as histórias contribuem para nos tornarmos mais humanos, pois estimulam e alimentam recursos internos que necessitamos para lidar com o mundo a nossa volta.
É preciso lembrar que a vida do ser humano de qualquer idade se situa numa linha narrativa como a das histórias, com início meio e lá no fim a morte. Temos uma ligação grande com as histórias através dos livros, filmes, novelas, teatro, etc. que em algum momento ou noutro, em maior ou menor grau nos tocaram ao longo da vida. É próprio da espécie humana transformar em histórias os acontecimentos, desde os mais banais até os feitos oficiais.

Por outro lado é através da fala que a criança vai organizando o mundo a sua volta, vai formando conceitos e construindo visões de mundo. As palavras vão nomeando as coisas, as pessoas, as ações, vão dando significados ao mundo em redor da criança.  Ouvindo histórias a criança amplia seu vocabulário com palavras novas e contextualizadas numa trama narrativa. Não são palavras soltas aleatoriamente, são palavras que propõem significados de acordo com o contexto em que estão inseridas e que propiciam que a criança, ao longo do tempo, construa novos significados utilizando-as em outras situações, o que pressupõe o desenvolvimento de muitas funções intelectuais como atenção deliberada, memória lógica, abstração, capacidade para comparar e diferenciar.
Devemos também lembrar que as histórias são herança cultural dos nossos antepassados e é função da escola ser mediadora e proporcionar o contato dos alunos com o patrimônio cultural.
Concluindo afirmo que tão importante quanto a professora de sala de aula contar histórias para seu aluno - e ela deve contar sempre que possível -, a realização sistemática da hora do conto é fundamental e imprescindível no ambiente escolar principalmente quando realizada, como disse Marie L. Shedlock já em 1915 “(...) por aqueles que dedicaram um tempo especial preparando-se para a arte de narrá-las (...)” pois para que as histórias façam tudo que são capazes de fazer, elas precisam antes de tudo ser tratadas e apresentadas como verdadeiras obras de arte que são.

*Psicólogo , Contador de histórias, Produtor Cultural. Atuando como Contador de histórias desde 2001 criou e participou de diversos projetos já tendo contado histórias para mais de trinta mil pessoas. Membro fundador do grupo NHOC, CONTADORES DE HISTÓRIAS. Responsável pela implantação e manutenção do projeto Hora do Conto no SESC Itajaí de 2001 a 2004 e na escola Quintal Mágico (Bal. Camboriú) a partir de 2004. Participa das Maratonas de Contos de Florianópolis desde 2002. Também em 2002 criou e apresentou na Rádio Comunitária CONCEIÇÃO FM o programa infantil Contando Histórias. Criador do projeto voluntário HORA DO CONTO NAS ESCOLAS PÚBLICAS (Itajaí-2003/2004/), aprovado pela lei municipal de incentivo a cultura em 2005 e 2007. Em 2005 fez a pesquisa, produção, roteiro, direção e atuação nos espetáculos de narrativa oral: “Histórias de Assombração” e “Mundão de Histórias”, e em 2006 nos espetáculos: “Bruxas do Itajaí” (aprovado pela lei municipal de incentivo a cultura) e “Contos folclóricos”. Co-idealizador do caderno literário CLAP. Além de contar histórias em escolas, empresas e eventos, ministra cursos e oficinas sobre Contadores de Histórias e literatura, desenvolve pesquisa sobre cultura contemporânea, escreve textos literários, peças de teatro/esquetes, roteiros de cinema.

Contato: (47) 9992-8305 (Itajaí/SC) – nhoc_contadores@yahoo.com.br